A Sombra do Torturador de Gene Wolfe

August 26, 2006 at 11:23 am (Livros/BD/revistas)

Gene Wolfe é para muitos considerado um dos maiores escritores de língua inglesa vivos, independentemente da questão dos géneros. A sua série The Book of the New Sun é geralmente considerada o seu maior contributo para a literatura. O primeiro de uma série de cinco livros, The Shadow of the Torturer (1980), apresenta-nos o mundo de Urth num futuro distante, um mundo que enfrenta a morte lenta e inevitável do sol (reminiscente da série The Dying Earth de Jack Vance que Gene Wolfe reconhece como influência no seu trabalho).

É Severian, um aprendiz pertencente à ordem dos Torturadores, que nos conduz pela mão nesta narrativa. Desde o início, sentimo-nos gradualmente imersos nas suas memórias e sabemos que num futuro distante Severian recorda os eventos do passado. Este artifício, sobejamente utilizado em muitos romances, adquire contornos singulares na obra de Gene Wolfe, na medida em que raramente temos conhecimento de uma personagem tão consciente de si própria, tão agudamente sensível às impressões do mundo exterior, propiciando uma narrativa extraordinariamente contaminada pelas reflexões do seu narrador.

GW

Na isolação da sua ordem, rodeado por ruínas milenares e o peso histórico das tradições, Severian é confrontado com um evento que muda os seus propósitos de vida e o inicia no caminho de rebelião secreta contra a sua ordem. Ao auxiliar um rebelde, Vodalus, compromete-se a servir um novo poder e trair a regência do Autocrata.

Mas ele enfrenta o maior teste de todos quando, um dia, a Ordem recebe a prisioneira Thecla, uma nobre acusada de traição e conspiração. Envolvida numa complexa teia política, só lhe resta na escuridão da sua cela a companhia e as palavras de Severian. A esperança de um dia ser de novo livre desabrocha e murcha muitas vezes, até finalmente ser despedaçada. E então Severian comete o maior pecado de todos como torturador – mostra compaixão.

Forçado ao exílio, inicia uma longa jornada, povoada de acontecimentos extraordinários e tão surreais como a sua própria narrativa. A prosa poética, e atrevo-me a dizer metafísica, de Gene Wolfe invade cada página e cada memória de Severian, enfeitiçando o leitor, transportado para uma nova realidade nunca linear e fértil em significados.

Existem passagens do livro em que Severian deixa-se levar pela própria natureza irreal e etérea do seu relato. O jardim botânico dá lugar a uma série de acontecimentos que não seguem qualquer fio condutor, em que as personagens, sem um rumo aparente, limitam-se a ser absorvidas pela bizarra atmosfera dos jardins.

E no meio disto tudo, lembramo-nos sempre de que o mundo do aprendiz está a morrer, um facto raramente mencionado, mas subtilmente aludido na descrição dos contrastes de cores e nas estrelas presentes quando ainda é dia, pormenores que normalmente não teriam impacto, mas graças à memória prodigiosa de Severian, adquirem contornos determinantes.

Mais do que uma história de fantasia épica, estamos frente a frente com um escritor de grandes capacidades estilísticas que expõe na sua obra um mundo fascinante e digno de ser explorado, dando relevo a uma personagem intemporal considerada já uma das melhores criações no género fantástico.

Não encontraremos o tipo de fantasia que habitualmente invade as prateleiras incluído neste livro, e no entanto, a sua narrativa também nos fala sobre amor, traição, paixão, a luta pela sobrevivência num mundo duro e cruel, mas de uma forma tão profunda e nostálgica que não resta outra alternativa ao leitor perplexo senão confiar em Severian e permitir que a sua figura negra e atormentada nos guie até ao fim da sua história.

A leitura de A Sombra do Torturador (vencedor do World Fantasy Award em 1981) deve ser seguida pela leitura do 2º livro – A Garra do Concilador. Existem edições portuguesas publicadas pela Europa-América, na colecção Nébula, mas recomenda-se a edição na língua original da Fantasy Masterworks que inclui ambos os livros num só volume – Shadow and Claw.

1 Comment

  1. Alessandro Ciapina said,

    Boa noite,

    Parabéns pelo review, foi muito útil.
    Você saberia dizer se existe outra edição em português além dessa da Europa-América? Estou enjoado de português de Portugal, ultimamente tenho preferido até ler o original em inglês…

    De qualquer forma, parabéns!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: