Escrever, escrever, bang, bang!

April 17, 2006 at 1:17 pm (Livros/BD/revistas)

Como escrevo nos mais variados sítios por essa net fora, e por vezes vejo-me forçada a fazer malabarismos por todos os sítios em que escrevo…

onde é que vais escrever sobre este livro ou filme, Safaa? Filhos de Athena (site, fanzine ou fórum), Épica, sci-freaks? Estou a esquecer-me de algum sítio? *Coça a cabeça*

…vou colocando aqui no blog os links às resenhas e afins que for escrevendo. Desta forma, posso também manter um registo de escrita.

Hoje queria destacar uma resenha da minha autoria publicada na revista Bang, n.º 1, sobre a obra Os Factos da Vida de Graham Joyce, vencedor do World Fantasy Award de 2003. Neste novo número, também colaborei como tradutora, sendo da minha autoria as traduções dos contos The Winds of Unchange de Frank Roger e In Orbite Medievale de Tobias S. Buckell.

Cada conto é especial à sua maneira e se o de Frank Roger tende para um humor surrealista delicioso (adorei traduzir esta pequena pérola dele), Buckell já se propôs a um aliciante desafio, o de escrever uma história em que parte da premissa “E se a Terra não fosse redonda no tempo da viagem de Cristóvão Colombo?”

O Rogério já me entregou dois exemplares da revista e, de uma perspectiva estritamente imparcial, notei uma evolução em relação ao trabalho que já tinha sido efectuado no n.º 0. As gralhas são praticamente inexistentes (foi um dos problemas que mais saltou à vista na 0) embora tenha reparado que a tradução de Elric e a Fortaleza da Pérola foi apontada como sendo de Luís Rodrigues, quando na realidade é de João Seixas. Ao Luís pertenceu a tarefa da revisão.

Já existe um maior equilíbrio entre o espaço dedicado a imagens e texto. E por falar em imagens, temos a capa que é uma capa… como dizer… voluptuosa. Algumas amigas minhas lamentaram a capa por acharem que dá a entender que literatura fantástica é um mundo de homens. O meu lado feminino e adepto deste género tem que dar razão a essas vozes, embora saiba que não foi essa a mensagem que quis ser transmitida. Estranhamente, o texto de João Seixas “Ao Sol de Newton – A FC Hard, oitenta anos depois” parece ecoar essa mensagem, praticamente não mencionando nenhuma escritora de FC hard. E elas existem. Mas as meninas irão ter as suas compensações nos próximos números, pelo que me disse o editor.

Curiosamente, as duas entrevistas desta edição cabem a duas novas escritoras, a portuguesa Ágata Ramos, a mãe do Sr. Bentley, o Enraba-Passarinhos (a Bárbara Guimarães nunca teve a coragem de dizer o título em frente às câmaras de televisão no seu programa Folhas Soltas, faltou-lhe a coragem) e a brasileira Márcia Guimarães cuja entrevista se revelou muito interessante e surpreendeu-me pela positiva, embora fontes me tenham afirmado que o seu livro A Conspiração dos Imortais da Livros do Brasil tenha algumas fraquezas.

No campo da ficção, temos o regresso de um veterano, Luís Filipe Silva, mas também um novo nome, Vasco Luís Curado. A contra-capa é que está um riso autêntico.

Nomes que mais contribuíram para o terror moderno:

fotografia de Edgar Alan Poe, fotografia de HP Lovecraft e a terceira fotografia a de…

Deixo a descoberta da terceira fotografia por vossa conta e risco.

Para além da Bang!, destaco a resenha em estado embrionário que já publiquei no fórum Sci-Freaks sobre o livro de Christopher Priest, The Prestige, e também a resenha de V de Vingança publicada no site da Épica na semana passada.

Eis os respectivos links.

The Prestige


V de Vingança

Já estou mais reconciliada com a ideia de ter criado um blog. Habituei-me tanto a um estilo de escrita formal, muito por culpa dos hábitos da faculdade e de alguns sites que vou editando, que já não sabia o que era escrever de forma descontraída sem parecer que estava a cair no ridículo ou desleixo. Mas dá-me gozo poder falar de certos pormenores que nunca poderiam entrar em textos mais formais, ou poder dar uma opinião, ou até mesmo relatar desastres nos bastidores…

Leituras do momento:

Um Estranho numa Terra Estranha de Robert Heinlein
Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago

1 Comment

  1. Bruno said,

    Eu acho que deves meter em qualquer um, desde que seja num projecto em que eu tambem esteja.

    Bem, mas assim apenas a Bang ficaria de fora, e o Rogério mataria-me…

    Hum….

    Escreve em todos :p

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: